Capricórnio (22/12 a 20/1)

Clique para ampliar
Para evitar que Saturno devorasse o filho caçula, Réia, grávida de Júpiter, refugiou-se na ilha de Creta na caverna de Dicte e lá deu à luz secretamente ao futuro deus dos deuses e dos homens.

O filho foi alimentado com o leite da cabra Amaltéia e o mel do monte Ida. Um dia, brincando com sua ama-de-leite, Júpiter quebrou o chifre da cabra que o aleitava. Para compensá-la, prometeu-lhe que este corno se encheria de tudo aquilo que o possuidor desejasse.

Ele é chamado de Cornucópia, e tornou-se o símbolo da abundância dos dons divinos. Em reconhecimento aos seus serviços, Júpiter, mais tarde, colocou-a entre os astros com seus dois cabritos.

Capricórnio é o décimo signo astrológico do zodíaco, situado entre Sagitário e Aquário e associado à constelação de Capricornus. Seu símbolo é uma cabra. Forma com Touro e Virgem a triplicidade dos signos da Terra. É também um dos quatro signos cardinais, juntamente com Áries, Câncer e Libra. Com pequenas variações nas datas dependendo do ano, os capricornianos são as pessoas nascidas entre 22 de dezembro e 20 de janeiro.

Região do corpo: Joelhos e pele
Metal: Chumbo
Pedras preciosas: Ônix
Perfume: Extrato de Pinho
Planta: Plátano Falso
Flor: Loto
Planeta: Saturno
Cor: Negra
Elemento: Terra
Palavra-chave: Obstrução
Dia da semana: Sábado
Arcanjo Regente: Orifiel
Gênios do Zodíaco: Sagdalon e Semakiel
Tattwa: Pritvi

Como irritar um capricorniano: Organize tudo para que se sintam inúteis. Lembre-os de sua baixa posição social. Embarace-os em público: faça escândalos, berre com eles. Deixe-os esperando, nunca chegue na hora marcada.

Frase típica capricorniana: "HOJE assumi o cargo de vice-diretor de uma empresa que ORGANIZAREI, e será sucesso daqui a 10 ANOS."


Referências: 1, 2, 3, 4 e 5.

Mãos à obra!

Depois de muito tempo sem escrever estou de volta. Aos poucos, mas de volta hehe. O que me deixa meio sem jeito é que eu não tenho novidades o suficiente para justificar a minha falta. Ou melhor, eu tenho novidades, entretanto elas estão (ainda) em período de incubação. O aprendizado que 2012 meu deixou foi duro, tão exaustivo que senão fosse a maresia de um amor sereno eu dificilmente conseguiria suportar as minhas neuroses sozinho. Seria a “crise dos 21 anos”? Talvez. Talvez eu seja um pouco masoquista, pois fico profundamente triste ao me desiludir com a falsa prosperidade da sociedade na qual vivemos e ainda vejo beleza nisso.

Quando eu parei e pensei na minha própria inércia diante das coisas que eu estabeleci como objetivo de vida não foi possível ficar indiferente. Senti que meus sonhos poderiam ser fruto de uma mera climatização do ambiente que estava ao meu redor e que na verdade eles eram engrenagens para projetos gananciosos de terceiros. Aquilo que não me foi contado e que eles acham que ninguém sabe, nada mais, nada menos. Se compreender um pouco mais da realidade doeu e me deixou abatido num primeiro momento, porém no instante seguinte já culminou em mim um desejo de reformular todos os meus planos novamente.

Não sei se é estranho dizer, mas eu acho que a maior novidade seja voltar a postar um texto novo outra vez. Não sei se é bobagem ou uma grande descoberta, mas eu acho que escrever por estar feliz em estar escrevendo (gerundiando e tudo, inclusive) seja o segredo de todo escritor potencialmente feliz. Não sei se é conveniente registrar, mas eu acho que esse texto (seja lá o que fosse) não era para começar assim... pois é, se já começou assim eu nem imagino como irá terminar.

Mas antes de acabar um pequeno balanço sobre este blog merece ser feito. Se por um lado eu escrevi menos esse ano, por outro o blog estourou em views. Acho que eu merecia uma prêmio! É.. Um prêmio como o melhor não-escritor de 2012! Kkk. Quanta bobagem... rs. Falando sério, acho que layout ajudou e muito nisso, além das parcerias com os blogs Artigo 19 e Autoconhecimento & Liberdade. Sendo assim, não tenho planos para mudar o visual por enquanto. O que eu quero é ter tempo e ideias relevantes para redigir.

Depois de semanas sem escrever confesso que, meus dedos gaguejam para digitar poucas linhas, como essas que acabei de digitar. Coisa que me provoca uma certa nostalgia mesmo sabendo que ainda tenho muitas coisas para escrever, muitos rascunhos sedentos para eclodir e ter vida própria nessa massa de aglomerados binários. Eu só consigo afirmar uma única coisa: esse texto não começou e nem terminou da forma que deveria, porém, esse início de ano não poderia ser melhor do que está sendo: um jardim repleto de sementes e de ferramentas. Então é isso: maõs à obra! Um Feliz 2013!!! o/


E para embalar esse momento aquela que eu simplesmente elejo como a música temática do meu 2012/2013. Interesses Caros do grupo Mato Seco, que mexeu demais comigo por trazer uma pergunta tão simples e tão difícil de ser respondida "Por que nos tratam assim?".