Mangas Verdes

O tolo observa uma árvore e a julga pela quantidade de folhas caídas no chão e frutas não-comestíveis que ela oferece. Já o sábio é capaz de contemplar apenas um único fruto maduro e, além disso, enxergar os que estão por amadurecer. =]

...

Empório Jaburu

Quem já fez uma visita mais minuciosa ao “inconsciente flutuante” com certeza já reparou que há um poema na lateral direita do site que leva o mesmo título do blog assinado por Gil Silva...

(Não viu? Então vai lá que vale apena! =D)

...

Esse poema foi concebido por um brother meu! o/ Um dos primeiros poetas que conheci e tive de fato uma convivência diária. Foi por acaso que nos conhecemos num curso técnico em gestão empresarial, afinal de contas não tínhamos o perfil da grade disciplinar kkk.

O Gil(van) é daqueles caras que considero  poeta de nascença. Um aventureiro cidadão andradinense que já morou em São Paulo, já viajou o Brasil numa companhia de teatro, cantou num coral de Campinas em alemão, posou nu para a obra de arte do fotógrafo Spencer Tunick que está em Nova York e tem muitas outras histórias para contar. Além disso, o Gilvan é poeta e tem uma passagem da sua vida que eu presenciei e que merece ser contada.

O Gilvan tinha muitos textos, mas ele teve um desejo de escrever o seu milésimo poema... O problema era que ele não tinha todos os seus versos catalogados, sendo assim, decidiu fazer um levantamento de todo seu arquivo. Após alguns meses (se não me falha a memória uns 3 ou 4) de trabalho árduo teve um dia que eu percebi que ele chegou meio cabisbaixo na aula, então perguntei:

Eaí Gilvan? Tudo bem?

-Ah, tudo. Mas, o lance do milésimo poema melou...

Por quê mano? Que aconteceu?

-É que eu contabilizei todos e já tenho mais de mil e cem...

^^ rs - eu fiz uma cara de susto e ri - Putz, agora você tem que fazer dez mil pra comemorar. kkk

...

E dentre muitos desse poemas existe um chamado “Brócolis” (meu favorito =]) que virou esse vídeo que eu vou compartilhar com vocês agora.

Degustem!


E você? Gostou do vídeo e quer saber mais sobre o Gil?

Acesse o blog: emporiojaburu.blogspot.com/

...

Poltrona

Uma cadeira não precisa necessariamente ter quatro pernas para ser uma cadeira, ela não precisa ser exatamente como essa que você acabou de imaginar agora... E nem por isso deixará de ser menos cadeira que as outras.

...

Seus Direitos

“Lute pelo seus direitos!”

Se você nunca escutou esse clichê provavelmente não viveu no planeta Terra nos últimos 38 anos rs. É automático. As pessoas sempre falam quando veem alguém injustiçado:

-É. Você tem que lutar pelos seus direitos! Vai lá! Você não pode ficar parado! Etc...

Ok.

Aparentemente isso ecoa como uma ideia de Libertários Revolucionários do Século XXI, ou algo do tipo. Aparentemente, apenas aparentemente. E eu vou tentar explicar o porquê.

“Lutar pelo que é seu” de cara já sugere um individualismo e fanatismo por um ideal sem limites. É fácil perceber. As pessoas que lutam apenas pelo que é seu esquecem imediatamente das necessidades do outro. E isso tem nome: canibalismo. “Lutar pelo que é seu” de cara já demonstra que você é o dono da razão e mais ninguém, ou seja, não sugere diálogo. É a sua prepotência contra a prepotência de alguém maior que você. A única diferença é quem está no comando.

E para quem ainda defende a ideia eu aconselho que observe os nossos parlamentares; eles sim são os melhores exemplos de quem luta pelos próprios direitos. Observe aquele dono de multinacional que te escraviza e exige menos impostos; ele sim luta pelos próprios direitos. Observe ainda a classe média alta que tem vergonha de ser pobre e sonha adoravelmente em ser rica a qualquer preço; eles sim estão lutando pelos próprios direitos.

Tudo isso são individualidades e ninguém lembra do coletivo. Ninguém lembrou o quanto é importante lutar pelos direitos do outro. Quem estuda em escola particular tem orgulho de vestir o seu uniforme engomado ao invés de lutar por um ensino público eficiente. Quem tem plano de saúde exibe seu cartão de usuário ao invés de lutar por saúde pública de qualidade. Quem tem uma BMW de R$ 250.000,00 quer uma Ferrari de R$ 500.000,00 ao invés de lutar por um transporte público mais barato e moderno.

-Ah, então as coisas nunca vão mudar então?


Vão mudar sim, quando um lutar pelo direito do outro o mundo vai mudar. É só assim que muda. É claro que se a parte mais prejudicada não se envolver nada acontece, mas só isso não basta. Tem que haver uma comoção geral em prol de algo que é certo. Lutar pelo que é justo de fato. Lutar não só pelo preço justo dos importados; lutar também pelo preço justo dos alimentos, remédios, moradias, combustíveis, vestuários, livros e lazer. Só assim faremos realmente muitas mudanças positivas em nossa sociedade. 

Mas, para que isso aconteça é necessário que todos lutemos pelo bem comum. É fundamental ter movimentos sociais engajados com causas ambientais, assim como, ter movimentos ambientais que marchem por causas homossexuais, e, movimentos homossexuais que se comprometam com causas sociais. Será a partir daí que veremos os frutos de todas essas transformações que almejamos.

Enquanto formos movimentos isolados lutando apenas pelos nossos direitos nada seremos.

Obs.: Eu assinei o abaixo assinado do Felipe Neto, apesar dele não ser um dos caras que eu mais acompanho no Youtube. Achei a causa válida e quero ver no que vai dar.

=]

Check Up

Toda vez que fecho os olhos eu vejo você. Acho que vou ao cardiologista; isso pode ser sério...

...

=]

Um pra mim, dois pra você

Pra quem não tem nada ter metade é ter muita coisa. Pra quem não tem muita coisa ter metade é como não ter nada.

...

Detalhes Construtivos

O amor NÃO existe!

Sim, hoje eu vou afirmar isso com toda convicção (por incrível que pareça).

O amor não existe, ele é construído. Nós o construímos, e construímos segundo o nosso ideal de amor perfeito a ser vivido. Isso nos proporciona uma liberdade que se confunde com o desejo de se prender a outra pessoa, que por sinal também quer o mesmo. É por esse motivo que é tão difícil equalizar-se com o outro...

Mas, eu não vim aqui só para falar de dificuldades, vamos falar de algo mais prático? Então vamos começar a pensar no nosso canteiro de obras! (Esta é a metáfora que temos para hoje =]).

Tudo começa antes de tudo acontecer e podemos ver claramente as diferenças entre os conceitos logo aí. Muitas pessoas querem um amor daqueles tipo bomba atômica: devastador, outras querem algo do tipo sombra e água fresca: maresia. Essas foram apenas algumas das infinitas possibilidades que temos. Afinal, existem muitas outras, por exemplo aquelas que querem um lance tipo prego na geleia: instável rs. Enfim...

Essa etapa corresponde ao planejamento da obra, querendo ou não todos planejamos (ou, não... ^~). E a maior problemática começa quando esse planejamento extrapola certos limites de bom senso. Alguns idealizam tanto, mas tanto, que se abstraem da realidade. É como se fizessem a planta detalhada com os móveis, azulejos, tapete e tudo que tem direito sem saber ao menos aonde fica o terreno em que a casa vai ser construída.

Outras fazem pior, constroem fortalezas inacessíveis em torno de si. Labirintos tão complexos que nem elas mesmas sabem como chegar a saída. E passam o tempo sonhando... sofrendo... inertes...

Ao procurar um amor ou um alguém para a sua companhia tenha certeza que esse tipo de relação só tem andamento quando todos fazem parte ativamente dessa construção. Quando há diálogo sobre os rumos a serem tomados. Portanto, se você realmente deseja dar início ao seu canteiro de obras dedique-se inteiramente ao seu jardim! =D

Não se preocupe com quantos cômodos a casa vai ter e como vão ser distribuído os espaços, pois isso vai ser feito a dois. Tijolo por tijolo, “eu te amo” por “eu te amo”, pincelada por pincelada.

Reforma após reforma.

Assim, no final os dois terão uma bela casa: sólida, aconchegante e a prova de tempestades. E estarão longe de regras ou concepções de falidas do amor.

...

E eu? Eu por enquanto só tenho mala e cuia... kkk

=]

Sr Osama Bin Laden?



Me perdoem galera. Não resisti! Essa charge é boa demais!!! kkk

...