Natal Digital

Quando estamos ás vésperas do Natal certos sentimentos afloram e ficam bem polarizadas no nosso cotidiano. Há pessoas que adoram o Natal por diversos motivos, sejam eles religiosos ou até mesmo capitalistas. E, existem pessoas que odeiam o Natal por diversos motivos, sejam eles religiosos ou até mesmo capitalistas. rs

De fato é pouco provável Jesus tenha nascido no dia 25 de dezembro do ano 0 d.c (?). Ora, se o marco de nosso calendário é o nascimento de Jesus como ele viria a nascer depois da sua própria chegada? Curioso, não? Sem falar nas diversas teorias que nos dizem que o mais provável é que Jesus tivesse nascido de 3 a 7 anos antes do início dessa contagem.

Na verdade essa foi uma atribuição simbólica para podermos comemorar o aniversário do Cristo. E essa decisão não foi aleatória, o 25 de dezembro foi escolhido por ser a data do solstício de inverno do hemisfério norte, pois é nesse momento que o Sol saí da sua inclinação máxima retornando ao ângulo zero em relação a linha do Equador. A beleza dessa data consiste justamente nisso: o (re)nascimento dessa Luz que sai de um estado submisso as Trevas para retomar o seu posto de supremacia que é associada com Cristo que veio para iluminar o nosso caminho rumo a um progresso espiritual.

O único problema dessa data é que todo o lado sul do globo comemora fora desse contexto já que, o solstício de inverno por aqui acontece apenas em junho. Enfim...

O que as vezes passa desapercebido ao nascimento de Cristo é a misteriosa visita dos 3 Reis Magos do Ocidente que vieram de muito longe para presentear o novo “Salvador do Mundo”. Isso demonstra o quão grande era a sabedoria desses pagãos que não esperavam por Messias algum comparados ao tão sofrido povo judeu que clamava desesperadamente por sua vinda.

Como que essa massa que aguardava ansiosa e tinha conhecimento de todas as palavras dos Profetas não conseguiu sentir a forte presença do seu “Salvador” sendo que Ele estava próximo de se juntar ao seu povo? E, como que esses Reis pagãos que nem seguiam a doutrina do judaísmo tiveram o pressentimento de que o “Filho de Deus” chegaria logo mais na Terra?

É de se pensar...

É de se pensar também que o fato de entregar ouro como oferenda não significa que Rei Baltazar capitalizou o nascimento de Cristo, caso fosse essa a intenção ele lhe traria moedas. O ouro é um sinal de riqueza no mundo todo, pois o ouro tem um valor universal diferente de uma moeda qualquer. Assim como ouro nós podemos ter outras moedas universais como: amor, compreensão, respeito etc.

Porém, hoje em dia o Natal se tornou uma data fria e consumista fazendo com que os cifrões saltem dos olhos dos comerciantes. Com o efeito da globalização não vai ser muito difícil vermos na China lojas decoradas com enfeites de Natal onde a grande maioria da população não reconhece Jesus como o seu possível “Redentor”.

O Natal se transformou em dos clichês dos mais chatos que existem para as famílias que não tem a chance de participar dessa maré de ilusões sobre núcleos familiares perfeitamente reunidos e bem alimentados com peru e tender à mesa.

Mas, não há quem deixe esboçar um sorriso ao receber um embrulho vermelho com folhas verdes ou ver uma criança feliz ao abraçar o papai-noel. rs

http://youtu.be/tgtnNc1Zplc

...