Miedo

Para entender do que se trata esse pensamento é necessário saber que, existem vários tipos de medo. E que de certa forma eles podem até ser divididos em categorias. =]

A ansiedade é aquele medo pequenininho que sentimos diante de algo que ainda está por acontecer. Ela tende a ficar maior conforme nos aproximamos de momentos dos quais não estamos “preparados” para enfrentar. O mais curioso é que ela se dissolve logo nos primeiros instantes em que a tão temida situação começa a se desenrolar. Esse tipo de medo parece bobo depois que tudo acontece e de certa forma é como se ele nunca precisasse ao menos ter existido. Na pior das hipóteses ele pode prejudicar o nosso desempenho nas mais diversas tarefas, ou até mesmo na vida. Num cenário mais otimista ele garante boas risadas ao percebemos que, aquele bicho de sete cabeças que criamos existia apenas no doce imaginário do nosso inconsciente.

O pavor é talvez o pior e mais agressivo de todas as categorias de medos imagináveis. Ele é o temor concentrado de tal forma que nos paralisa totalmente. É o estágio no qual a angústia toma conta totalmente de nós e não nos deixa prosseguir em nenhuma direção. Não existe raciocínio diante do pavor ele apenas imobiliza todos os nossos músculos e sentidos. É essa sensação que faz com que muitas pessoas deixem de superar os seus traumas passados ou até mesmo ousar a experimentar novos desafios durante e sua existência. A única situação que o pavor pode ser benéfico é na contenção de atitudes irracionais em defesa do própria vida como um dos instintos mais primitivos do ser humano.

E nós temos também o medo propriamente dito, esse sim, o meu favorito =]. A origem da palavra medo vem de média, ou seja, de quem está no meio: indeciso. O medo aparece sempre quando nos deparamos com algo desafiador a nossa frente. É ele quem faz com que todos os nossos sentidos fiquem aguçados e atentos ao contexto que nos rodeia. Ele nos bota contra a parede e nos exige decisões rápidas, exige a nossa intuição. O medo não impede ninguém de ir a lugar nenhum, muito pelo contrário, as vezes ele é o combustível. Sempre bem acompanhado de uma boa dose de adrenalina o medo pode até ser um vício para quem não gosta de monotonia.

Para tirarmos todas as dúvidas:

A ansiedade é como um surfista que mora longe do litoral e está prestes a se reencontrar com o mar e sente medo de não encontrar um dia ensolarado e ondas ideais para praticar o surf.

O pavor é o sentimento que pode fazer um surfista abandonar o surf mesmo sem deixar de ser apaixonado pelo esporte. Esse medo normalmente ocorre depois de um trauma como: se machucar, ter um princípio de afogamento, alguma perda emocional etc...

Quando um surfista se propõe a entrar no mar ele está ciente de todos os perigos que aquela atividade envolve, porém isso não o faz desistir de querer pegar a melhor onda. Ele apenas toma precauções, conta um pouco com sorte para que nada de mau aconteça e então desfruta da tão esperada sensação de adrenalina ao surfar =D. É assim que o medo propriamente dito se manifesta em nós.

É por isso que o medo nos faz tão bem e inclusive quando não conseguimos superá-lo. O medo é sem dúvidas um dos propulsores da nossa vida. O medo não é o lado negro e sim o tempero das nossas melhores experiências, pois ele valoriza as grandes conquistas. O medo te deixa focado nos seus objetivos. O medo faz você se mover e sair do estado de inércia diante do Universo. O medo faz você se sentir humano, e, principalmente: vivo. 

Sendo assim, não existe razão alguma para termos vergonha de temer algo.

O grande problema que a sociedade enfrenta hoje em dia é justamente a falta de medo. Eu confesso que, gostaria muito de viver num mundo cheio de medrosos. E, que gostaria de viver num planeta no qual alguns medos predominassem...

O medo de ser infeliz, o medo de não conseguir amar, o medo de ser injusto, o medo de não ser livre, medo de ficar sozinho, medo de ser manipulado, o medo de machucar um animal, o medo de fazer o mal, o medo de desperdiçar a vida, o medo de não dizer "eu te amo", o medo de mentir, o medo de não dividir, o medo de degradar a natureza, o medo de chorar e... o medo de não sentir medo outra vez. =]

Quem sabe um dia... pois para mim o medo é a grande virtude dos corajosos. o/


Namastê!
...