O Ritual do Catchup

Salve Galera! Depois de um bom tempo sem escrever eu venho aqui hoje ensinar para vocês uma das coisas mais bonitas que já me ensinaram nessa vida: O Ritual do Catchup =D.

Esse “ritual” é muito simples de se fazer e pode ajudar muita gente a entender o real valor de algumas atitudes na nossa vida. Então, vamos aos procedimentos?

Escolha uma pessoa a qual você ama e que tenha te magoado, mas que você já perdoou (ou quase perdoou rs) e mesmo assim ainda restam alguns vapores de ressentimentos na relação de vocês dois.

Primeiramente pergunte se a pessoa está disposta a se sujar (explique que vai ser só um pouco e não é nada demais).

Segundo, pegue um sache qualquer de catchup e peça para a pessoa estender a mão. Logo em seguida coloque um pouquinho de catchup no dedo dela, apenas o suficiente para ser espalhado num espaço pequeno de mais ou menos 1cm² (um pouquinho a mais ou menos não faz diferença).

Agora fale para a pessoa passar esse catchup na manga da camisa a qual você estará vestindo =D. É isso mesmo! Na manga que você estará vestindo rs. Talvez, ela possa oferecer certa resistência, porém passe a certeza de que tudo no final vai dar certo e que isso faz parte da brincadeira. Quando o catchup já estiver na sua camisa espalhe-o, espere secar e explique o seguinte:

Ao ser machucado por alguém que tanto amamos temos que ter consciência que esse alguém também saiu ferido dessa situação. O maior exemplo disso é o catchup, pois é impossível um se sujar sem sujar o outro. Às vezes a gente machuca sem querer e isso acontece pela proximidade da relação que estabelecemos. Esse é o lado triste de tudo, os dois se machucam... E esse machucados podem muitas deixar marcas ou manchas no nosso ego...


Agora diga que aquela mancha pode sumir. Ou melhor, diga que aquela mancha vai sumir.

Fale para a pessoa colocar outra mão em cima daquela mancha. Fale para ela pensar que a mancha vai sumir e ter fé que aquilo vai acontecer. Ao fazer isso não estipule tempo, deixe a pessoa a vontade para mentalizar aquela transformação e oriente-a para não ter pressa.

Quando perceber que ela terminou pergunte:

-Você tem certeza que a mancha já sumiu? - Após ouvir uma resposta positiva mostre novamente a manga da sua camisa. 

Eis o resultado: para a surpresa de todos a mancha NÃO irá sumir =]. Porém, isso não significa que o ritual deu errado por que é agora que o verdadeiro sentido dele se revela.

Nesse momento mostre para a pessoa a sua pele que está por baixo da manga da sua camisa e peça para ela observar. Então, explique o verdadeiro sentido daquele ritual:

Muitas das mágoas que sentimos em nossas vidas são como aquela mancha na camisa. Elas podem nos frustrar, nos deixar muito chateados e até ofender a vaidade que temos mas elas não atingem de fato a nossa essência que seria a pele. As roupas a gente lava quando chegar em casa ou outro dia, pois elas simbolizam a superficialidade de alguns ressentimentos. A pele sim é o que de fato expressa a primeira camada da nossa essência e ela continua intacta sem nenhum arranhão.

No primeiro momento as pequenas mágoas podem ter um valor maior do que elas realmente tem por ferirem a nossa vaidade, no entanto com o passar do tempo elas se tornam tão pequenas que não apagam a essência positiva dos momentos vividos.

As pessoas que amamos de verdade nunca vão nos deixar marcas perpétuas por causa de pequenos defeitos ou por bobagens que cometem, elas ficam eternamente e sempre serão lembradas pelos vastos momentos de felicidades que nor proporcianaram. =]

Sendo assim, fica a dica: cuidado com com essas pequenas mágoas e o valor que você está atribuindo para elas. Existem machucados que precisam de curativos mais elaborados? Sim, é claro. Mas, o que for vaidade deixe de lado e lave sua roupa suja em casa. o/

Obs: Essa brincadeira quem me ensinou foi a minha grande amiga Marta Ferreira e eu apenas transcrevi o acontecido. É muito legal fazê-la na prática, porém se você não tiver essa oportunidade faça em pensamento ou até mesmo ensine para pessoas as quais você não possui ressentimento algum.

Passe adiante =].

...