Pressa

Pressa...

-Eu estou com pressa!

Assim diz o sujeito o qual está apressado, ou, aquele que é apressado por outra pessoa para concluir algo.

Sendo assim, ele acelera o seu ritmo natural e executa aquilo que precisaria de um tempo hábil maior para ser realizado de forma mais ágil, atentando-se para que o resultado final não seja alterado pela rapidez da execução.

-Eu tenho pressa!

Assim diz o indivíduo introduziu no seu inconsciente um sinal de largada e um cronometro em contagem regressiva.

Sendo assim, ele espreme-se, pressiona-se e mutila-se diante de uma tarefa que ele tem tempo hábil suficiente para realizar, mas que por um motivo ou por outro (traduzindo: paranoia) prefere fazer de forma acelerada.

Ele tem tempo; mas acelera rumo ao nada...

Ele não sente, não repara, não mastiga, não enxerga, não ouve, não conversa, não caminha, não respira, não reflete, não compreende... Resumindo ele não vive, ou melhor, vive. Vive cada dia como se fosse o último e morre de véspera.

Ele tem tempo; mas tem pressa de morrer...

A pressa surge através da pressão que você exerce em si mesmo em relação ao tempo. Surge da sobrecarga da rotina do dia a dia associada com o sentimento da possibilidade do não cumprimento das metas estabelecidas. Surge num ciclo vicioso de adrenalina por uma corrida sem linha de chegada. Surge quando nada faz sentido, mas é necessário que precise ser feito. Surge quando você abandona os detalhes particulares das coisas. Surge através daquilo que já está foi feito, porém precisa ser repetido exaustivamente...

-Mais rápido. Mais rápido, mais rápido...

-Maaaiiisss rááápiiidooo!!!

É fundamental que se deixe bem claro que o tempo não pressiona ninguém! Ele é inerte... Somos nós que nos esmagamos contra o mesmo. Nos enforcamos cada vez que pulamos da ponte que nos liga as sensações mais sutis e realmente significativas do nosso viver.

Por isso, hoje eu sai de casa mais cedo. Saí porque eu queria dar bom dia ao Sol, saí porque eu não queria correr atrás do ônibus,, saí porque eu queria reparar o balanço das árvores na praça, saí porque eu não queria chegar três minutos adiantado, saí porque eu queria respeitar os meus passos...

Na verdade, eu saí mais cedo de casa porque eu queria chegar atrasado...

...