Reevolução (parte V)

Além de ser considerada uns dos grandes símbolos da Revolução Cubana a figura de Che também foi um dos pilares que Fidel Castro usou para implantar a sua ditadura em Cuba. O seu modo de governar de trouxe diversos benefícios para o povo? Sim, concordo! Mas, não há duvidas que o mito de Che Guevara de certa forma conforta os cubanos para que eles vivam sob um governo tão rígido quanto o de Fidel.

Conforme os anos passam a figura de Che fica cada vez mais banalizada por produtos, comerciais e ações de marketing. Hoje usar um acessório de Che traz um aroma de "rebelde sem causa", afastando as pessoas do verdadeiro significado histórico da motivação dos guerrilheiros. As novas gerações infelizmente não olham para a Revolução com a importância que ela merece.

Aos que valorizam Che como ele realmente foi, muitas vezes sobra apenas o mito. Ou, pior... A utopia...

Uma utopia que nos faz acreditar que somos sempre o personagem principal dos filmes de ação. Uma utopia que nos faz acreditar que o mundo pelo qual lutamos já é perfeito e não merece questionamentos. Uma utopia que nos deixa cegos quanto as reais possibilidades de transformação.

Do romantismo dos rifles aos charutos cubanos existem muitas idealizações que incorporamos sem perceber. O Sistema nos enfeitiçou com esse fetiche da revolução armada cheia de paz e amor, contraditório não? E, de fato essa é a intensão. Eles querem que tenhamos uma sensação de impotência diante a sua condição favorável, convencendo-nos de que não temos coragem para lutar quando não é verdade. Eles querem nos confundir sobre como agir diante da opressão.

Por isso, não acredito em novas revoluções armadas, e tenho alguns motivos:

•Eu não entraria em um conflito armado por livre espontânea vontade, logo não gostaria de ver pessoas que eu gosto envolvidas nesse tipo de situação.
•Os fins nunca serão mais importantes que os meios, se queremos uma nova sociedade temos que construí-la sobre os alicerces firmes dos novos valores que consideramos mais justos.
•Jamais vou confiar em um movimento que se diz democrático e pretende se impor através de armas. Este com certeza governará através de outra ditadura que pode de ser igual ou até pior que a anterior.

Apesar da banalização não tem como negar o carisma da imagem de Che. É possível ver o seu sonho de um mundo melhor em cada um dos seus gestos, e disso eu não duvido. Che e a Revolução Cubana me trazem várias inspirações e não faço questão de descartá-las. Uma massagem positiva de que vale a pena lutar por um ideal. Na verdade gosto da imagem de Che e é por esse o motivo que me incomodo quando ela é mal utilizada.

No entanto, não é só ele sofre desse mal, as vezes eu sinto que a mesma coisa acontece com Gandhi...

Continua...