Diafragmatizando

Respirar... parece simples.
E na verdade é simples! Porém a maioria das pessoas não fazem de forma “correta”, e quando se fala isso muita gente entende que tem haver com puxa pelo nariz e solta pela boca ou puxa pela boca e solta pelo nariz. Ai você sugeri ao indivíduo: Respire fundo! Ele provavelmente vai estufa o peito, vai se encher de ar até não pode mais, segurar por uns três segundos, e vai solta tudo de uma vez... Toootalmente errado!

Respirar não isso, para respirar corretamente é necessário degustar o ar =]. Você deve retirar os nutrientes que ele oferece para a fim de um melhor condicionamento do seu corpo. Ter uma respiração eficiente pode fazer toda a diferença no seu dia-a-dia. Afinal, somos exigidos constantemente de um alto desempenho em todas nossas atividades cotidianas e uma manutenção não adequada do nosso corpo pode nos levar a um excesso de desgaste desnecessário.

Conforme ficamos ocupados durante o dia pouca atenção damos ao nosso respirar, porém no final da tarde quando já estamos stressadíssimos com tudo a nossa volta aí sentimos a falta de ar... E na tentativa do nos acalmarmos (os que conseguem ter um pouco de racionalidade quando stressados rs) buscamos uma respiração que apenas piora as coisas, a respiração torácica, que é aquela respiração que a pessoa enche o pulmão até o fim. Essa respiração só vai te trazer o dobro de adrenalina que aquela pessoa já tinha, e com certeza vai deixar ela mais p*&a#$ da vida kkk, enfim um ciclo vicioso...

Existe uma outra forma de se respirar, essa sim correta; a respiração diafragmática! Ela acalma e tranquiliza os sentidos de qualquer um e te faz consumir apenas o necessário de energia para suas tarefas. Como funciona? A princípio é bem simples! Experimente encher sua “barriga” de ar... solte... repetidas vezes... sentiu a diferença? ^^ Quando todos nos nascemos praticamos a respiração diafragmática e depois de pouco tempo desaprendemos esse recurso... Aprenda com os bebês, veja como eles respiram e faça igual, a mudança será sentida imediatamente na sua vida. Um belo exemplo da importância disso é que só ha possibilidade de dormimos depois que iniciamos a respiração diafragmática, e quem tem problemas nesse sentido não consegue desfrutar de sonos profundo, mas aí já são casos que merecem medicamento; tirando isso todos nós somos capaz de exercita-la.

A respiração diafragmática nos traz uma percepção mais aguçada do espaço, é possível se conectar com o meio ao seu redor. As decisões durante o seu dia serão menos impulsivas. Deguste o ar! Não se preocupe em ditar o ritmo da sua respiração o seu corpo faz isso automaticamente para você =D

Abrç a todos!

...

Canguru Perneta

O sexo não deve ser egoísta a fim de proporcionar apenas o prazer próprio, mas não deve ser tão "respeitoso" a ponto de ser sem graça... (para os dois) =]

...

Roupas Pretas

Eu não sou muuuito velho nem nada, mas é evidente como a moda e realmente muda. As vezes eu lembro que alguns anos atrás era mais comum a gente usa calça larga as meninas calça boca de sino e tal, e as cores que predominavam eram sempre pretas. E eu me via de certa forma um pouco perdido, não gosto tanto assim de preto, porém tem dias que eu estou afim e uso. Agora é moda essas calças mais justas e esses tênis megacoloridos e eu ainda me sinto perdido, nunca fui tão extravagante assim kkk. Eu gosto das cores... mas eu gosto de escolher as cores =]


Eu não estou de luto,
não estou na moda.
O black surgiu mudo,
cores vão embora...

Respirei o arco-íris...
fiquei um pouco bobo?
Confetes no meu pires
ou corvo no meu ombro?

365 dias de bem com o que?
365 dias de mal com o que?

Melancolia fixa,
falta de amores?
Seja o colorista,
deguste as cores!

CMYK, RGB, BMP, PGN, Nvidia, HDMI, JPG, P/B, DVI, UHF, VGA,
800x600, 1080x1290, 320x480.

Bobagem extravagante...
aquarela sem sabor...
está vazio daqui em diante...
vento contra meu favor...

Não há fogões cor-de-rosa,
mas nas trevas não quero ser eternizado.
vejo além da minha sombra,
sombras de uniformes padronizados

Além de contrastes maiores que 5000:1,
o que as roupas pretas e megacolorias tem em comum?

...

Materialização da Fé (parte II)

Estamos numa época onde tudo é instantâneo (menos os chocolate em pó =]), e eu gosto muito disso dessa dinâmica toda e tal, mas não são em todos os casos em que se pode esperar tudo isso. O desejo por resultados imediatos nos deixa dependentes de demonstrações concretas daquilo que estamos fazendo, exigimos cada vez mais um menor espaço de tempo entre a ação e efeito surtido pela mesma. Não conseguimos nos desligar desse mundo material. E uma das coisas que estamos materializando mais nesses últimos tempos é a nossa fé, nós somos tão incompetentes para ter fé que só acreditamos que temos a partir de resultados materiais.

E de repente aparecem aqueles líderes espirituais pedindo grana e dizendo que através da sua Fé que irão construir Igrejas enormes; e depois de feitas eles exibem aquilo como um grande troféu, por que foi fé do povo que construiu aquele altar. E as pessoas se sentem bem satisfeitas ao perceberem que conseguiram um templo de oração enorme, e como se o tamanho da fé delas fosse do tamanho daquele templo. Quando vamos à Igreja e depositamos o nosso dízimo apenas confirmamos a nossa incompetência de nos permanecer perto de Deus durante aquele mês que se passou. 

Aí materializamos algo que não temos, fé. Tentamos recompensar as nossas falhas com dinheiro e oferendas quando ideal seria trabalhar nossos defeitos para não comete-los mais, e ai sim atingir nosso objetivo próximo ao Pai: convivermos em civilizadamente e seguir em direção a Luz.

Deus-Pai-Todo-Poderoso já tem o Universo, Ele não precisa de mais nada físico! precisa sim de semeadores da Luz, filhos e filhas que desenvolvam a própria evolução e a dos demais irmãos de coexistência. Lembrem sempre que o maior templo espiritual que existe é você mesmo em favor do Bem. Acredite no poder sutil da sua fé, aquilo que nos move, não quebra, não arranha, nem desmorona. A fé quando fervorosa provoca efeitos sutis e de força inimagináveis, deixe de provar o poder e sua fé comparando os resultados obtidos a partir dos princípios materiais.

"Respondeu-lhe o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá" (Lc 17.6).

Precisamos ter mais humildade para na falta de excelentes resultados nos alegrarmos com os bons, e não querer tudo de uma hora para outra. Saiba dar valor os pequenos progressos, entenda que eles são a base de grandes evoluções. Os maiores progressos espirituais do ser humano nem sempre se demonstram aos olhos e nem através do ciclo orar-orar-orar-ganhar-orar-orar-orar-ganhar-ganhar-ganhar. Saiba perder... sem perder a fé.

...

Materialização da Fé (Parte I)

Nós temos necessidade de materializarmos muitas coisas, e muitas vezes estamos fazendo isso sem perceber. Materializamos o conhecimento com diplomas, uma união estável com uma aliança, a existência indivíduo com seu CPF. Os homens são carentes de auto afirmação e precisamo a todo tempo estar lembrando o que somos ou o que achamos que somos, ou pior ainda; aquilo que não somos.

Reconhecer que estamos longe (ou não) da Energia que governa o Universo é difícil, mesmo querendo alcançar uma evolução qualquer não se sabe se estamos no rumo certo, isso nos trás muitas dúvidas. E de fato materializar certas coisas nos trás um grande conforto, e até uma rasa certeza de que estamos no direção certa; é como se a partir desse momento as coisas ficassem um pouco mais difíceis de serem quebradas.

Mas, nem sempre materializar as coisas nos coloca para próximo das coisas sutis; o maior erro das pessoas é querer transformar o material em sutil.

Ex: A pessoa assina um jornal afim de ter uma automotivação maior para começar a ler. Provavelmente esses jornais que ela assinar vão ficar amontoados na mesa de centro e não vão ser lidos nem metade deles. Por que? Por que não é fundamental para quem deseja adquirir o habito da leitura assinar um jornal. O ideal seria que ela já gostesse de ler.

Tem gente que paga o primeiro mês de academia para começar a ter disposição para os exercícios. Provavelmente essa pessoa vai frequentar a primeira semana da academia e depois abandonar aos poucos. Por que? Porque essas pessoas não abrem mão de descerem do ônibus ou carro e parar 200m mais longe de onde exatamente queiram descer. O ideal seria ela já se propor a pequenas atividades durante o dia para a partir daí querer praticar exercícios mais desenvolvidos.

Tem uma galera também que adora muda o visual para dizer que mudou de "espírito" que se renovou e tal. Provavelmente depois de 15 dias vai surgir uma profunda incógnita na mente: "Eu conseguiu mudar o cabelo e não conseguiu mudar a minha forma de ser?"Por que?" Por que as maiores mudanças na nossa essência não serão perceptíveis as outras pessoas. O ideal seria primeiro mudar por dentro, se repaginar e fazer uma nova análise se é mesmo esse o estilo de vida que realmente queremos e a partir daí sim muda o visual. =]

Não exagere na pressa em pular etapas que influenciarão negativamente no resultado final dos seus objetivos, saiba trabalhar a sua alma para evoluir da forma que deseja.

Continua... (sempre quis escrever isso =D)

...

Eu só quero caminhar

Pé em deus e Fé na Tábua... Pé em deus e Fé na Tábua... =]

...

Strogonoff de abobrinha

Bem, algum tempo atrás eu fui a um restaurante vegetariano e tal... e lá me deparei com um strogonoff de abobrinha, logo me vi com sérios questionamentos sobre aquilo. kkk. De fato, aquilo era abobrinha no molho ou strogonoff de abobrinha? então comecei a pensar primeiro “o que é um strogonoff?” Entendi que o princípio de um strogonoff é basicamente um prato feito de cubos de carne envolvidos em um molho a base de creme de leite, ponto. Sendo assim, aquilo era um prato com cubos de abobrinha envolvidos em um molho que não tinha por sinal creme de leite, logo, aquilo supostamente não seria um strogonoff... Talvez aquilo seria abobrinha no molho.

Ok. Talvez eu esteja mesmo exagerando! Talvez, um strogonoff não precise de cubos de carne nem de creme de leite... Um strogonoff pode ser cubos de alguma coisa envolvidos em molhos de outras coisas que realcem o sabor dos cubos de alguma coisa. =]

Enfim, depois dessas conclusões continuei ainda sim pensando...

Qual o objetivo em batizar um prato vegetariano com alusão a um nome de um prato não-vegetariano? Bem, se eu estou disposto a ir em um restaurante vegetariano é fato que eu não estou disposto a comer derivados de carne naquela minha refeição. E continuei sem entender como o cara que batizou aquele prato não pensou que seus clientes se sentiriam tentados a pensar em comer um strogonoff de verdade quando vissem a descrição da na borda da bandeja e entendessem que aquilo de strogonoff não tem nada.

Se eu não preciso me alimentar fisicamente de carne, por que eu preciso me alimentar psicologicamente? Consumir carne não essencial é para sobrevivência humana, mesmo assim ainda nos vemos de certa forma a necessidade de consumir psicologicamente, ou seja, “tá, eu estou comendo esse pedaço de abobrinha imaginando que seja um pedaço de bife, pois reconheço o quanto é horrível fica sem ao menos a ideia de come o tal bife”kkk. Na verdade eu acho isso muito engraçado =] Você não precisa substituir, você pode acrescentar a sua vida um novo modo de se alimentar. Saboreie os frutos, legumes e verduras com sabor que eles mesmos possuem.

E eu ainda tenho pra mim que a lance de ser vegetariano ajuda sim as pessoas a se conduzirem melhor espiritualmente, mas simplesmente ser vegetariano não vai te fazer plenamente evoluído. Ainda há muitas outras coisas a se fazer, e tenho certeza de que muitas pessoas não-vegetarianas estão sim bem encaminhadas rumo a Luz. Afinal, como diz a escritura o que torna os homens puros não é aquilo que eles colocam dentro de suas bocas, e sim o que sai delas. E, por enquanto, seguirei assim não-vegetariano...

...

O Cultivo

Aqueles que semearem Luz colheram claridade.

...

Idéias Flutuantes no Ar.

 
Sim, eu tenho idéias! Não muito bem organizadas... Não muito bem coerentes... Não muito bem idealizadas...

Eu gosto disso. Deixo as idéias flutuando no ar, as combino e faço ligações inesperadas e quase lógicas. Quando nos deixamos levar pelo pensamento nos compreendemos melhor, quando nos limitamos nos aprisionamos dentro daquilo que achamos que somos. O bom é não ter que selecionar aquilo que se pode aprender, podemos  simplesmente aprender. Converse com as plantas, os animais, as máquinas, os movimentos, os corpos, os sites, consigo mesmo e pricipalmente com Luz que nos guia ao caminho do bem.

...

Poucos, 80 anos.

Ao meu ver nós vivemos pouco tempo. É sim, e mesmo para os que conseguirem alcançar uma longevidade um pouquinho maior de vida aqui na Terra, esses vão viver em média 80 anos. E por mais que se faça muita coisa tenha certeza que quando você chega lá vai dizer: “caramba! Quantas coisas que eu não fiz nessa vida e deveria ter feito...” Viver em si não é algo muito complexo ainda mais por que é muito difícil fugir do nosso padrão de vida. Nascer, crescer, amadurecer, estudar, trabalhar, ter filhos, netos e morrer, de modo bem simples é isso. (e muitas vezes nem convém vir a complica muito as coisas).O que acontece é que nós fingimos que não sabemos dessa fatalidade.

Infelizmente, nos achamos muito novos aos 20 e muito velhos aos 60, pura ilusão! =]

Eu acredito que a minha geração viverá sim em média 80 anos, não por que cuidamos do nosso bem-estar, alimentação, espírito, etc... Na verdade eu acredito mais no avanço da medicina em desenvolver remédios e técnicas para que prolonguemos mais a nossa estadia no planeta. Enfim, é melhor se prepara para isso (não neuroticamente claro), mas se prepare. Mesmo achando pouco, são 80 anos, e eles não vão passar do dia para noite.

E sempre existiu aquela dúvida, viver o máximo das coisas aqui ou se resguardar delas para alcançar um possível paraíso? Eu sempre achei obvia a vantagem de se dedicar por 80 anos e ter livre acesso ao paraíso pela eternidade. Porém eu não acredito que 80 anos se resguardando sejam suficientes para se provar o merecimento por um plano mais evoluído. Nós temos a necessidade de aprender e esses 80 anos são apenas partes de longas fases que temos e teremos ainda de aprendizado, é possível sim no final de cada etapa fazer um balanço do que cumprimos com êxito ou não. Mas, 80 anos não são suficientes para se adquirir muitas virtudes nós ainda morreremos cheios de defeitos, e com muitos desafios deixados para trás. Por isso precisamos de muito mais que 80 anos e aprimoramento para subir mais um degrauzinho a cima no cosmo.

São aproximadamente 8 décadas, aproximadamente 80 anos, aproximadamente 960 meses, aproximadamente 29.200 dias, aproximadamente 4171 fins de semana =]. É só isso que você provavelmente vai ter para viver por aqui. Não deixe de viver. Deixar de viver é abandonar essa chance maravilhosa de nos aprimorar como indivíduos. Você não foi trazido para a Terra sem nenhum proposito, não viva como enfeite.

Afinal, qual o intuito de querer uma Ferrari e nem ter carta de habilitação? Por que você quer ser eterno se não se propõe a viver nem esses poucos 80 anos?

...

Reconciliar

Há situações em que é preciso deixar a vaidade um pouco de lado; peça desculpas mesmo coberto de razão!  =]

...

New Odess City/M Mor City (a volta)

Tava mais bôbo que banda de rock, que um palhaço do circo Vostok...”

É agora to em Monte Mor... a dispersa e improvisada Monte Mor =]

Eu nunca descartei a possibilidade de voltar e nem esperava que fosse acontecer tão rápido, pelo menos voltei bem para casa... voltei inclusive a pedidos kkk. De fato retornar a intensa e movimentada Avenida Jânio Quadros e deixar a verde e semofarizada Avenida João Pessoa teve um sabor de fim férias de inverno.

Mesmo estando ainda em processo de adaptação eu me via ligeiramente mudado, eu adquiri sim novos hábitos e fiz questão de traze-los comigo de volta. Era a chance de um novo recomeço, era a chance de reinventar os laços de afetividade com as pessoas que eu convivo. No começo as pessoas estranham mas depois tem o lado bom da redescoberta e tal, você percebe que tudo tem o seu lado positivo. E se fosse para ter voltado da mesma forma que eu fui eu nem teria ido, essa que é a verdade.

Porém, eu tinha plena consciência que nem tudo seria flores, eu teria também que lidar com os velhos problemas. Isso me assustou um pouco, mas só um pouquinho... Eu sabia que na primeira discussão com mãe ela soltaria: “Era melhor você nem ter voltado! devia ter ficado por lá mesmo!” E de fato, não estava muito errado nas minha previsões kkk. Mas não reclamo, eu escolhi isso para minha nova fase.

E com novas ideias eu voltei para retomar os antigos projetos, e repensar novos projetos. Comecei pelo meu quarto, afinal já diz a antiga frase: Se queres começar uma revolução, comece pelo seu quarto =D. E assim foi, joguei muita coisa fora para que dessem espaço para outras coisas que não sei ainda o que são. Fui eliminando; “disso eu preciso... disso eu não preciso... isso eu acho que preciso, mas não preciso... isso eu preciso, mas quero joga fora... aquilo fica melhor em outro lugar...” Se reambientalizar ao espaço realmente é fascinante.

Medo de errar? Eu tive. Se eu estava preparado? Não, acho que nunca estou =]. Mesmo sentindo a falta dos momentos que vivi em Nova Odessa, agora pude valorizar mais os ares de Monte Mor. Identifiquei também um dos lados bons de morar com os pais é o de que seus pais não reparam se você fica o fim de semana fora, ou se chega tarde no domingo rs.

Monte Mor me trás ares de revolução...

Sem falar na possibilidade de estar ingressando na faculdade o/, isso me deixou muito contente. Foi até meio despretensiosa a minha inscrição e tal, mas deu certo. =D

Talvez uma rotina... uma rotina pra mim pode sair dela; era o que eu queria e agora já tenho. vamo que vamo =].

...

Alt + Tab

Viver, fazer escolhas... escolher é uma das coisas que a gente mais faz nessa vida. E como as vezes as rotinas nos sufocam e nos deixam tão presos a elas. =[ Mas, isso talvez é que nos traga o aprendizado conforme o tempo. Afinal, é fundamental saber o que não deve ser escolhido para as nossas vidas, mas que as vezes a vontade é de aproveitar tudo isso ao máximo e não deixa nada escapar e alternar entre as melhores coisas da vida. Porém, isso  machuca a gente... machuca sim...

Muitos lugares, muitas vontades.
Uma opção, uma escolha sem lógica:
Existe ausência de teletransportes.
Mas, quero uma condução mais nova.
Talvez queira uma condição nova.

Quero enfim materializar um atalho.
Poder me deslocar com facilidade,
Esnobando o computador mal humorado,
caminhando despreocupado pelo bosque.
Esqueci de novo o Caps Lock Ligado...
talvez, em letras maiúsculas a frase:
EU QUERO VIVER SEM PROGRAMA PROGRAMADO!
Simples assim, com um simples Alt Tab.

E quando se pertence a todos lugares?
E quando não se pertence a nenhum lugar?

Saio sem medo por aí caminho sossegado,
eu quero as possibilidades imprevisíveis.
Ouvir o ensinar dos sábios embriagados,
flagrar discretos casamentos sem convite,
observar os fenômenos físico-químicos,
esperar o semáforo fechar e não dar pique,
o abençoar dos profetas apocalípticos.

Quero a viver vida tela cheia.. tudo em F11!
Quero aproveitar o pleno Sol do meio dia,
quero navegar na minha barra de espaço.
Se o rumo é incerto o lugar nunca é errado,
se o vento está forte já vem a calmaria,
se tem coragem, por que a armadura de bronze?

Muitas coisas que tenho para fazer...
Muitas coisas para não querer fazer...
Alt Tab! Alt Tab! Alt Tab! Alt Tab..
Quais janelas da vida eu vou viver?

...