Mitos Solares

Foi com o Sol que os homens tiveram seu primeiro contato com a religião, e seguindo esta linha de raciocínio não existia privilegiados ou excluídos, afinal, o Sol nasce para todos sem perguntar raça, religião, classe social, sexo, humor... pois Ele apenas nasce. Porém quando a noite chegava todos ficavam receosos do que estaria por vir, o medo tomava conta do homens e eles depositavam toda sua fé na certeza de que um novo amanhecer viria.

"O Homem começa a criar mitos, pequenos dramas para explicar e humanizar tais ritos. Os mitos serviram no passado para expor certas verdades de forma que somente os iniciados poderiam entender. O primeiro mito que o Homem conheceu é o Mito Solar. O Sol representava o nascimento, a vida, a morte e a ressurreição. Assim a religião católica estabeleceu o nascimento de Jesus em 25 de Dezembro, no solstício de Inverno (Hemisfério Norte) quando a constelação da Virgem aparece no horizonte simbolizando que Ele nasce de uma virgem. Logo, similar ao Sol, a Jesus pesa a todos os perigos que lhe ameaçam na sua infância e se levanta triunfante para proclamar sua doutrina. O Sol renasce na primavera e cria uma nova vida na natureza que havia perecido no inverno. O Sol foi o início das religiões."
fonte: http://www.guatimozin.org.br/artigos/relig_homem.htm

Nas civilizações mais antigas eram comuns o culto ao Sol ou divindades a ele relacionadas, o Sol era visto com ser de forma homogenia fonte de Luz e calor que tornava a vida dos homens na Terra possível. Conforme o tempo foi passando "Deus" foi ganhando forma humana; ganhou braços, pés, cabeças e até barba! (kkk); mas "Deus" agora com a forma humana também ganhou outra função passou a julgar uma por uma de suas criaturas.

Os homens que se viam de uma forma igualitária e cuidavam uns dos outros; todo esse cuidado se devia ao fato de que se um transgredisse as regras todos pagariam por tal ato, através de trovões, estiagens etc... com isso todos se orientavam guardavam a vida de cada um dos integrantes do grupo com se fosse e vida dele próprio. Afinal, as vidas tinham um significado muito além de sentimentos, uma vida a menos significava: um a menos na caça, um a menos na vigilância, um a menos para reprodução...

Porém, os homens passarama entender que a vida e "Deus" era algo individual e que era possível se manter na Terra ou no Céu sozinhos, a partir daquele momento era cada um por si; com o julgamento individualizado passou também a existir a despreocupação com os demais do grupo e com a própria vida. 


O homem de hoje em dia é obcecado pela própria felicidade, sucesso e salvação, isso fez de nós máquinas individualistas e predadoras; despertando o vazio melancólico e depressivo dos dias atuais.

Prefiro ter Deus ainda como um Sol, um Deus que nasce, ilumina e acompanha todos seus filhos e se demonstra acima de tudo para aqueles que querem ou não ver. Um Sol que não cobra impostos por oferecer energia, um Sol sábio que oferece a noite aos seus filhos para que eles coloquem em prática o que foi lhes ensinou durante o dia, e que; quando aparenta se ausentar na verdade manda a Lua
em seu nome para refletir toda sua Luz e não nos deixar em completa escuridão. É nisto que eu acredito. Um Sol que conduz seus filhos ao caminho da evolução conjunta.